Dados obtidos através da Inteligência Artificial e Advanced Analytics possibilitam o aumento na produtividade e crescimento do PIB na América Latina.

 

A América Latina vive um momento importante no que diz respeito ao uso de Inteligência Artificial e advanced analytics (IA/AA) – tecnologias que podem se tornar aliadas na reconstrução econômica de diversos países e contribuir para o aumento de investimentos de produtividade em empresas dos mais variados setores.

Embora países como o Brasil estejam despontando no uso dessas tecnologias, a região ainda tem muito o que evoluir na comparação com os grandes líderes globais.  De acordo uma pesquisa realizada pela Oxford Insights e IDRC, Uruguai, Chile e Brasil são os países mais avançados no uso de Inteligência Artificial, porém, nenhum dos países latino-americanos integra a lista dos 20 melhores.

Uma pesquisa realizada pela Accenture mostra que a aplicação dessas tecnologias na América do Sul, podem contribuir para o crescimento de 1% do PIB (Produto Interno Bruto) até 2035. Mas, para isso, segundo o relatório, é necessário, por exemplo, fortalecer os ecossistemas de inteligência artificial e desenvolver pessoas para que coexistam harmoniosamente com a tecnologia e que promovam o seu crescimento.

O cenário da Inteligência Artificial e Advanced Analytics na América Latina

No artigo O cenário da Inteligência Artificial e Advanced Analytics na América Latina, a equipe da McKinsey aponta que o uso da IA/AA podem criar até US$ 1 trilhão de dólares em valor para as economias da região. De acordo com os pesquisadores, ao aumentar o nível da produtividade, as empresas (públicas e privadas), ajudam a economia a se recuperar da crise ocasionada pela pandemia de COVID-19 e a sustentar taxas de crescimento econômico mais elevadas.

Eles alertam que somente organizações com grandes ambições, uma mentalidade verdadeiramente de aprendizado e a execução de um programa holístico de transformação serão capazes de desbloquear o potencial de valor significativo da AI / AA na América Latina.

Em matéria publicada pelo Estadão, Heitor Martins (líder de práticas digitais da McKinsey na América Latina), explicou que, do ponto de vista das empresas, os processos de uso avançado de dados e de transformação digital são capazes de mudar seus destinos. Segundo o estudo, a maior parte das empresas líderes da região estão aplicando alguma versão de Inteligência Artificial e advanced analytics para resolver diferentes problemas de negócio, mas são poucas que promovem uma verdadeira transformação digital.

Insights

Entre outras conclusões, o artigo publicado pela McKinsey mostra que as empresas líderes têm estratégias bem definidas para a transformação digital e implantação de IA/AA, que levam em consideração toda a sua cadeia de valor. Têm cada etapa de aplicação bem definida, priorizando as necessidades do negócio. Destaca-se o papel da liderança e importância do apoio do CEO e equipe executiva.

Outro ponto importante é que as empresas líderes nas indústrias B2C E B2B promovem o desenvolvimento de talentos desde o início da jornada. Eles treinaram e desenvolveram carreiras atrativas para novos perfis técnicos, como engenheiros de dados, arquitetos de dados, cientistas de dados, engenheiros de machine learning e designers. Também conectaram a equipe técnica, responsável pela operação dos dados, com a equipe de negócios, permitindo que as instituições tenham suas ações orientadas por dados.

Em entrevista ao Estadão, a pesquisadora Monica Szwarcwald, destacou que o que mais funciona nos casos de sucesso “é a área de negócios acreditar no processo, ajudar a mudar a cultura da empresa”. Por isso, a importância de que estejam todos juntos.

Leave a Reply