O que antes parecia ser uma realidade distante, agora é uma verdade inexorável: o trabalho remoto veio para ficar, mudando a lógica de como as relações acontecem no mundo corporativo. A aceleração do processo de mudança no formato de trabalho é uma consequência clara da pandemia da COVID-19 responsável, inclusive, por alterar a lógica do processo de gestão de pessoas pelas empresas.

A pesquisa “O futuro do trabalho após o COVID-19”, divulgada pela McKinsey, mostrou que o trabalho remoto e as reuniões virtuais, por exemplo, continuarão depois da pandemia – ainda que com menor intensidade, e que a realização de videoconferências inaugurou uma nova aceitação por reuniões neste modelo e de outros aspectos do trabalho remoto.

Embora, em algum momento, a pandemia deva acabar, o que permitirá que o mundo volte a viver dentro de uma normalidade próxima àquela conhecida anteriormente, ficou claro que a inclusão de novos processos tecnológicos se fazem mais do que necessários e é uma tendência. O que antes servia como um socorro em meio a uma crise sanitária nunca vivida, acabou por mostrar um aliado permanente nas atividades cotidianas – sejam elas profissionais ou pessoais, podendo ser realizadas com mais comodidade, agilidade e rapidez, proporcionando uma qualidade de vida muito maior.

 

AUTOMAÇÃO DE RH

Dentro deste contexto, o setor de Recursos Humanos foi um dos mais impactados.  Desde o início da pandemia, o segmento precisou experimentar novas formas de trabalhar a gestão de pessoas com a ajuda intensa da tecnologia, trazendo para o ambiente online o que antes acontecia no “tête-à-tête”.

Essa realidade não é apenas deste setor em específico. A pesquisa global da McKinsey mostrou que dois terços dos 800 executivos sênior entrevistados, em julho de 2020, afirmaram que estavam investindo em automação e Inteligência Artificial de alguma forma. Soluções foram implantadas pelas empresas, por exemplo, em armazéns, supermercados, call centers e fábricas, visando reduzir a densidade no local de trabalho e lidar com os aumentos na demanda.

 No caso específico do RH, a automação de processos se intensificou, entre outras coisas, à necessidade de dar continuidade aos processos de recrutamento, seleção, retenção e gestão de talentos, prejudicados pelo necessário distanciamento social. Com isso, etapas importantes como as de entrevistas passaram a ser feitas por plataformas online como Zoom, Meet e Skype.

Além disso, segundo a pesquisa Estudo de Tendências Globais de Talentos de 2021, realizado pela Mercer,  apontou que o uso de analytics, por exemplo, está se consolidando como ferramenta para obter insights sobre gestão de talento. Em relação às habilidades que apoiam o futuro do trabalho, a maior parte das empresas está usando ou planejando usar sistemas de machine learning que avaliam a demanda de mudança e/ou habilidades.

Outro dado da pesquisa mostra que 47% das empresas pesquisadas estão planejando melhorar a análise de equidade salarial, aumentando a automação do processo de RH. Fica claro também como a automação e a utilização da Inteligência Artificial e linguagem de máquina estão subsidiando as decisões dos gestores a partir de dados: durante a pandemia, 29% das empresas contribuíram com os executivos ao compartilhar dados de medidas de contenção de custo no envolvimento dos funcionários.

Para seguir em frente diante do novo cenário, a sugestão do estudo elaborado pela Mercer é que a transformação e automação do RH seja priorizada, rompendo com os modelos tradicionais para refletir nossas vidas digitais e novas formas de trabalhar. Projetar soluções certas, pensar em novas experiências e envolver os principais steakholders no processo de solução.

 

SOLUÇÕES DE AUTOMAÇÃO LEVEE

Desde 2012, a Levee já previa a transformação digital do RH a partir do uso intensivo da ciência de dados. A partir da tecnologia desenvolvida pela empresa, todo o processo de recrutamento, seleção, coordenação de entrevistas e até a contratação podem ser otimizados com automação e Inteligência Artificial. Nós ajudamos as empresas a encontrarem o candidato com o perfil mais adequado para a vaga, garantindo a maior aderência do profissional à empresa e o aumento na produtividade.

A plataforma mudou a forma com que o RH e a operação se relacionam, aprimorando a experiência do candidato desde a primeira interação. Eliminando processos manuais de rotina a partir do uso de chat bots, a contratação de mão de obra operacional se tornou muito mais ágil, com processos de recrutamento padronizados e consistentes, liberando a equipe gestora do RH para processos mais valiosos.

 Com os processos otimizados e automatizados, é possível reduzir em média 80% o tempo de contratação, 30% o turnover e economizar 270 horas de um gerente de loja responsável pelo processo de contratação.

Entre em contato e entenda como a Levee pode ajudar a sua empresa na contratação de mão de obra operacional em grande escala.

Leave a Reply