A pandemia da COVID-19 causou uma transformação no recrutamento em 2020 e mostrou como a capacidade de adaptação e a personalização de processos são importantes diante de um cenário de tantas incertezas. Ainda que o mundo tenha ficado em estado de alerta e que muitas corporações tenham puxado o freio de mão, as contratações continuaram em muitos setores – mesmo em um ritmo mais lento.

O período de distanciamento social revelou a necessidade urgente da automatização de processos pelas empresas e mostrou como o uso intensivo da tecnologia é cada vez mais necessário. Quase não há mais espaço para velhos métodos.

Nos Recursos Humanos não é diferente. Uma pesquisa recente revelou que o número de recrutamentos online de ponta a ponta cresceu cerca de 25%, e 165% entre os meses de abril e maio deste ano, sendo que o tempo para que as vagas fossem preenchidas caiu entre 60% e 80%. A digitalização não é mais uma tendência, mas uma realidade.

Exemplo disso é  uma operadora de seguros que anunciou a criação de 10 mil postos de trabalho temporário, com contratação 100% online. O processo contou com mais de 80 mil pessoas inscritas. E não se trata de um caso isolado.

A necessidade urgente da utilização de processos virtuais, que nasceu a partir da quarentena forçada, acabou mudando a rotina dos Recursos Humanos, gerando uma série de desafios que vão desde a administração da rotina do dia a dia, a seleção e entrevista de candidatos, até o gerenciamento de todos os processos.  Segundo a pesquisa The 2020 of Recruiting Report com a mudança de rotina, houve uma crescente dependência dos profissionais por entrevistas de recrutamento utilizando telefone e vídeo, e se intensificou o uso de plataformas como Linkedin para captação de perfis.

A pesquisa foi realizada com mais de 700 tomadores de decisão de Recursos Humanos nos Estados Unidos e no Canadá, e revelou também que não são apenas os processos de contratação que mudaram, mas as exigências quanto aos perfis profissionais. Para eles, será necessário contratar pessoas com novas habilidades, adaptáveis a um ambiente de negócios imprevisível. As principais delas são adaptabilidade, proficiência em tecnologia e comunicação.

Entretanto, nesse contexto, uma pergunta torna-se essencial: como gerir todos esses novos processos? A pesquisa mostrou que menos da metade dos recrutadores entrevistados acredita ter a tecnologia necessária para construir relacionamentos com os candidatos. Para eles, as ferramentas atuais deixam muita a desejar nesse sentido.

Nós sabemos que uma boa ferramenta otimiza todo o fluxo de trabalho, dando mais agilidade e deixando o processo mais eficiente. Falamos disso há pouco tempo, quando discutimos sobre o uso da Inteligência Artificial na gestão de talentos.

Não há tempo a perder: as empresas que não acompanharem as novas tendências e ganhos que a tecnologia traz serão impactadas. É por isso que a LEVEE existe, para auxiliar as áreas de Recursos Humanos a enfrentarem esses cenários com muito mais tranquilidade.

Soluções LEVEE

A LEVEE trabalha com soluções que utilizam machine learning, análise preditiva e people analytics para auxiliar empresas que contratam mão de obra operacional em altos volumes, melhorando a qualidade do serviço, alinhando e prevendo às demandas da força de trabalho aos principais KPIs da empresa ou operação.

O objetivo da LEVEE é ajudar as empresas a reduzir perdas anuais de milhões de reais causadas pela improdutividade de suas operações, aumentando o engajamento, a eficácia do trabalho e os índices operacionais e financeiros.

Leave a Reply