Inteligência Artificial: revelando os candidatos mais produtivos

CEO e Advisor da Levee participam do Fórum RH 2020

A automação de processos está contribuindo para uma transformação nos Recursos Humanos e para uma mudança na forma em que as empresas se relacionam com seus colaboradores em toda a sua jornada. O uso da inteligência artificial e dados inovadores permitem que as corporações revelem candidatos mais produtivos e democratizem oportunidades, principalmente, para vagas operacionais – que são vagas de entrada ao sistema de emprego formal.

Jacob Rosenbloom, CEO da Levee, e Márcia Costa, advisor da empresa, participaram do Fórum RH 2020 e contaram a experiência da C&A, que utilizou a tecnologia desenvolvida pela startup para automatizar os processos de contratação de colaboradores, criando um perfil padronizado para todo o país. Por ano, a rede faz cerca de 3 mil contratações.

No evento, eles falaram sobre o papel da jornada do candidato e a importância do engajamento do colaborador no nível de serviço e resultado da empresa e como a ciência de dados aplicada ao RH pode ser aliada no processo de captação e análise de quadro. Os dois também abordaram o papel da liderança em uma cultura de inovação através da tecnologia e como é possível implementar processos baseados em dados.

Jacob Rosenbloom explicou que a automação permite resolver as lacunas de diversidade nas empresas.

“Com o uso da tecnologia desenvolvida pela Levee, é possível aumentar em 11% a participação de mulheres no quadro das empresas ao eliminar vieses em etapas sensíveis ou iniciais do processo. É importante destacar que quem trabalha com um time diversificado é mais produtivo e que a automação possibilita que os Recursos Humanos promovam o protagonismo e a mudança”, disse.

De acordo com o CEO, com a tecnologia, é possível aumentar a retenção em todos os níveis e garantir o acesso gratuito e imediato às ofertas de emprego para as pessoas mais vulneráveis, como mulheres e jovens, que sempre tiveram acesso mais restritivo ao mercado de trabalho. Nesse sentido, Jacob destacou o papel da liderança em criar uma cultura de inovação que envolva a colaboração entre todas as áreas.

“Isso se resume em liderança e gestão. A cultura que a empresa tem precisa ser constantemente repensada e os processos atualizados. Precisa estar focada em quem são as pessoas certas e nos porquês”, afirmou.

Nesse sentido, Marcia Costa afirmou que os profissionais de Recursos Humanos detêm o papel fundamental de promover a transformação de processos que levem as empresas para uma sociedade em rede e conectada.

“O papel dos profissionais das áreas de pessoas é influenciar a liderança e entender qual é a dor de cada área”.

CASE C&A

Um dos exemplos de como o uso de Inteligência Artificial pode contribuir para a transformação dos negócios foi desenvolvido pela Levee para a C&A, varejista do setor de modas.

“O que queríamos era trazer pessoas que tivessem uma conexão maior com o servir, com olhar para o cliente e recebê-lo como se estivesse na sua casa”, conta Márcia, que foi Vice-Presidente de Recursos Humanos da rede varejista.

Para a executiva, o papel da área de pessoas é fazer com que todas as etapas dos processos integrem a necessidade da pessoa que está buscando uma colocação no mercado de trabalho e oferecer uma jornada de trabalho que permita que as pessoas possam ser felizes e se sentirem realizadas.

“Uma pessoa que está feliz no trabalho vai transmitir a felicidade para o cliente”.

Em parceria com a Levee, a rede de lojas iniciou um processo que teve como objetivo a simplificação de processos – que passou de 14 para 4, o aumento da assertividade dos candidatos levando em consideração o contexto cultural e o perfil do servidor, a redução do turnover, além de definir o perfil de colaborador para toda a rede no Brasil.

Na avaliação da executiva, o uso da plataforma deu mais clareza para a definição do perfil do colaborar e contribuiu para a otimização do trabalho dos gerentes no processo de contratação.

“Com isso, o gerente fica mais disponível para o cliente, resolvendo questões administrativas ou processos que não estão andando com tanta fluidez. A plataforma ajuda a ter acuracidade e coerência no perfil”, afirmou.

Outra vantagem do uso da tecnologia foi o processo de contratação mais equilibrado, uma vez que a disputa acontece de forma equitativa.

“Ela promove um processo justo, porque se você deixar isso na  mão de cada um de nós, humanos, teremos diferentes critérios de avaliação. Cada um vai chamar as pessoas por aquelas afinidades que são naturais. Com um processo estabelecido torna isso mais justo”, disse executiva.

Com o perfil do colaborador mais próximo do cliente, a rede conseguiu padronizar o atendimento.

“Existe um receio de que, com o digital e com a automação, se perca a conexão com o humano. Mas no final do processo os perfis voltam para o gerente que é quem realiza a dinâmica, faz o olho no olho. Nesse momento, usamos o melhor dele que é essa percepção de quais são as competências necessárias para a posição”.

Com o projeto desenvolvido pela Levee, a C&A obteve como resultado 100% de automação da jornada do candidato e da análise do perfil mais produtivo.

Confira a participação de Jacob Rosenbloom e Márcia Costa no Fórum RH 2020, no link: https://youtu.be/3pY7UuOn1QU.

CLIQUE AQUI e entenda mais sobre Inteligência Artificial  e Operacional.

Leave a Reply