Tecnologias como Inteligência Artificial (IA), Big Data, Machine Learning, entre outras, também causam impacto em atividades simples e corriqueiras do dia a dia, como, por exemplo: Relógios de rua (que, além de informar a hora, também medem a temperatura atual do local), Smart Tv, Smart Watch, GPS, compras no E-commerce e até uma simples busca no Google.

O fato é que essas tecnologias estão cada vez mais intrínsecas às nossas vidas, mas também são excelentes recursos para desenvolver e agilizar projetos que podem mudar a vida e o futuro de toda a sociedade. É o que explica o Consultor estratégico de negócios e tecnologia, Bernard Marr em seu artigo: “The Human Side of Artificial Intelligence”

Segundo o autor, é fácil esquecer que a humanidade é o elemento mais importante da inteligência artificial (IA). Mas devemos lembrar que a IA é desenvolvida  por humanos para resolver problemas humanos e para fazer isso contamos com as nossas próprias habilidades de pensar, aprender e melhorar.

No artigo, o autor traz o case da Microsoft que desenvolveu um projeto com o objetivo de ampliar a compreensão e amenizar o receio das pessoas em relação à IA. Por meio de uma nova série chamada:  Humans and AI, o gigante da tecnologia deseja chamar a atenção para as pessoas cujos sonhos, inovação e determinação estão impulsionando mudanças positivas e ajudando outras pessoas em situações adversas.

Um dos destaques é o caso da Hadas Bitran, chefe da Microsoft Healthcare Israel, que desenvolveu um verificador de sintomas da COVID-19  que ajudou a aliviar a carga de trabalho dos profissionais de saúde da linha de frente e trabalhou no desenvolvimento de um bot que permite que os sobreviventes da doença façam a auto-avaliação para saber se o plasma pode ser doado com o intuito de ajudar no tratamento de pacientes com vírus.

Já o Kelvin Summogum, fundador do MiiCare, está usando IA para aprender sobre os padrões de comportamento dos idosos e ajudá-los a viver em casa de forma independente e segura. A série documenta as histórias humanas por trás dessas inovações potencialmente transformadoras – por exemplo, Kelvin foi levado a enfrentar seu desafio pessoal com a morte de sua avó, que sofreu uma queda enquanto estava sozinha em casa.

Para Bernard Marr, “O poder das pessoas e a engenhosidade estão na vanguarda de cada uma dessas histórias fascinantes”.

“O que eu gosto nessas histórias inspiradoras de pessoas reais e comuns usando IA para fazer a diferença é que isso torna o tópico mais acessível e ajuda a todos a entender que é um conjunto de ferramentas que pode ajudar todos nós a alcançar nossos objetivos e sonhos. Isso é importante porque o poder da IA para melhorar nossas vidas é severamente prejudicado se o público em geral – aqueles que ainda não viram ou sentiram seu impacto em primeira mão – não o compreenderem ou não confiarem nele”. afirma.

A tecnologia pode contribuir para uma relação mais humana nas empresas?

A resposta é: SIM!

Sabemos que o capital humano é um dos ativos mais fortes e valiosos de uma companhia, seja ela grande, média ou pequena, como sabemos também que, cada vez mais, é difícil separar em sua totalidade a vida pessoal da profissional. Portanto, uma coisa é fato: ser reconhecido por seus méritos, produtividade e competência é essencial, tanto para a carreira profissional quanto para qualidade de vida –  e a tecnologia contribui para que essa valorização e reconhecimento sejam feitas através de dados, reduzindo vieses inconscientes envolvidos.

Por isso, que aqui na LEVEE enfatizamos a importância de contar com a plataforma para encontrar os melhores candidatos para sua empresa, acompanhar os Kpis de performance, e acima de tudo promover um ambiente corporativo consciente.

As oportunidades devem ser democratizadas para que todos consigam espaço no mercado, aprendizados constantes e estabilidade emocional. E a Inteligência Artificial desenvolvida de maneira humana, é a melhor maneira de garantir a construção e preenchimento ideal dessas oportunidades.

Referência:

https://www.linkedin.com/pulse/creating-better-world-humans-artificial-intelligence-bernard-marr/

Leave a Reply